Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +1,28%

    73.437,28

  • 18/11/2017 22h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,56%

    R$ 3,261

  • 18/11/2017 22h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 12,99%

    R$ 65,40

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,21%

    R$ 1,6769/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,69%

    R$ 1,8286/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

Açúcar: preços batem marca de 19 cents/lb em NY; risco de geada aumenta preocupação

 

 

Os preços do açúcar bateram os 19 cents de dólar por libra-peso na bolsa de Nova York ontem (7), impulsionados, ainda, pelas projeções de queda na produção devido aos fatores climáticos nas últimas semanas, que têm interrompido a colheita decana-de-açúcar em várias regiões graças ao excesso de chuva.

Matéria da Agência Reuters de ontem destacou que as chuvas atípicas para o mês de junho castigaram os principais terminais exportadores de açúcar do Brasil, suspendendo as operações em alguns portos e elevando os preços da commodity para máximas que superam os preços de dois anos e meio.

Com a interrupção dos embarques de açúcar nos portos, a fila, na segunda-feira passada já ultrapassava os 29 navios que esperam melhores condições para o carregamento. Na mesma época do ano passado, a fila chegava a 15 embarcações. "O total de açúcar que espera para ser carregado corresponde a 1,4 milhão de toneladas, ante 400 mil toneladas um ano atrás", aponta dados da SA Commodities trazidos pela Reuters.

Ainda segundo a agência internacional de notícias, citando o presidente da Datagro, Plinio Nastari, os fatores climáticos adversos acumularam quatro dias de paralisação da colheita nas usinas na segunda metade de maio, "uma situação que parece se repetir no início de junho".


Risco de geada

A previsão dos institutos meteorológicos é de que a chuva deve dar uma trégua nos próximos dias, mas será substituída pelo risco de geadas, inclusive em algumas regiões produtoras decana-de-açúcar dos estados do Paraná e Mato Grosso do Sul.

Segundo previsões da Somar, "estão sendo previstas temperaturas negativas para vários municípios da região Sul, em especial em áreas produtoras de milho safrinha do Paraná, há possibilidade até mesmo de vir a atingir áreas cafeeiras e de cana-de-açúcar do Paraná e do Mato Grosso do Sul. Há riscos também para o trigo, já que muitas lavouras paranaenses estão com mais de 45 dias de desenvolvimento e, portanto, suscetíveis ao frio extremo. Ainda é muito cedo para prever quais os dados que esse frio que irá persistir não só nessa quinta-feira, mas até o início da próxima semana poderá fazer, mais é fato que perdas irão ocorrer".


Preços

Ontem a bolsa de Nova York operou em alta em todos os contratos do açúcar. No vencimento julho/16 a commodity fechou em 19 centavos de dólar por libra-peso, alta de 22 pontos no comparativo com a véspera. As demais telas subiram entre 25 e 36 pontos.

Em Londres também foi dia de valorização em todos os vencimentos dos contratos deaçúcar. Na tela de agosto/16 a commodity fechou cotada a US$ 513,90 a tonelada, 6,20 dólares a mais que a sessão anterior. Os demais contratos fecharam valorizados entre 3,90 e 5,60 dólares.

No mercado doméstico, medido pelo Cepea/Esalq, da USP, os preços fecharam mais um dia em alta, o nono dia seguido. Os negócios foram firmados em R$ 80,21 a saca de 50 quilos do tipo cristal, 0,45% a mais que a véspera.


Etanol diário

Os preços do etanol hidratado também fecharam em alta de acordo com os índices da Esalq/BVMF, e negócios em R$ 1.505,00 o metro cúbico, valorização de 0,64% no comparativo com o dia anterior.

 

Fonte: Agência UDOP de Notícias