Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +0,04%

    76.004,15

  • 21/09/2017 00h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,21%

    R$ 3,129

  • 21/09/2017 00h00
    UOL

AÇÚCAR INTERNACIONAL

  • Variação

    Valor

  • 2.30%

    14.70 USd/lb.

  • 21/09/2017 00h00
    Bloomberg

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 0,61%

    R$ 52,65

  • 21/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,55%

    R$ 1,4355/L

  • 21/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 1,97%

    R$ 1,5837/L

  • 21/09/2017 00h00
    CEPEA

Consumidor usa menos o carro e força queda de preço do combustível

 

 

A crise fez muita gente deixar o carro na garagem para economizar no combustível e esse comportamento acabou gerando um efeito positivo nos postos. A gasolina e o álcool estão mais baratos.

Em Teresina, os motoristas já perceberam a queda nos preços. Em Anápolis, o consumidor também comemora.

 

"Está legal agora, deu uma aliviada no bolso, está bacana, o preço agora está mais razoável", afirmou o autônomo Max Adriel Soares.

 

Em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, o litro do álcool está saindo por menos de R$ 2 e o da gasolina, em torno de R$ 3,30.

 

Não está no campo, na distribuidora e nem na bomba, a principal explicação para essa queda nos preços dos combustíveis. Quem está provocando tudo isso é o próprio consumidor, que que decidiu simplesmente guardar a chave do carro no bolso.

 

Seu Lazaro é marceneiro e precisa do carro para trabalhar, mas toda vez que abre a porta, calcula bem a rota.

 

"Se eu puder deixar uma coisa que tem que fazer hoje, e deixar para fazer amanhã, faz duas coisas de uma vez só amanhã, entendeu?", declarou.

 

Com tanta gente evitando sair de carro, o consumo de combustível no país caiu mais de 4% este ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.

 

"É um aperto muito grande na renda das famílias, isso causado por demissões e aumento da inflação e ele teve que cortar e corta em todos os aspectos, inclusive no consumo de combustível", afirmou o economista da FEA-RP/USP Alexandre Nicolella.

 

Os donos de postos, que não esperavam por esse comportamento do consumidor, estão preocupados. Em plena safra da cana, a procura por álcool caiu quase 14%.

 

"A própria disputa de preço entre os postos de combustíveis vai fazendo com que a gente tenha preços menores em função da concorrência entre eles", afirmou o dono de posto Renê Abad.

 

"Tem que abaixar mais ainda. Está muito caro ainda. Se abaixar, faz bem para o bolso, não tem nem dúvida", afirmou o marceneiro Lazaro Odair Achit.

 

Assista o vídeo da matéria clicando aqui

 

 

Fonte: Bom Dia Brasil - Rede Globo