Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +0,04%

    76.004,15

  • 21/09/2017 00h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,21%

    R$ 3,129

  • 21/09/2017 00h00
    UOL

AÇÚCAR INTERNACIONAL

  • Variação

    Valor

  • 2.30%

    14.70 USd/lb.

  • 21/09/2017 00h00
    Bloomberg

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 0,61%

    R$ 52,65

  • 21/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,55%

    R$ 1,4355/L

  • 21/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 1,97%

    R$ 1,5837/L

  • 21/09/2017 00h00
    CEPEA

Crescem fusões e aquisições no País

 

 

O número de fusões e aquisições no País, no mês de março, totalizou 75, número 19% maior, se comparado ao mesmo período de 2014 (com 63 transações), e 2,8% acima da média dos anos entre 2011 a 2015.

É o que revela levantamento da PwC Brasil. O movimento de março representa, conforme o estudo, o segundo maior volume de transações anunciadas nesse mês desde 2010 (83 transações).

Esse aumento pode ter sido reflexo do fim das festividades de Carnaval e da valorização da moeda americana atingindo seu ápice no período de março.

Região de maior atratividade no território brasileiro, o Sudeste terminou o período de fevereiro de 2015 com 71,1,% do mercado de fusões e aquisições. Em março, os volumes transacionados atingiram 73,3% do total anunciado (muito próximo ao patamar recorde de 75%).

O Estado de São Paulo consolidou no período anterior um percentual de 51,8% em fevereiro e, em março, aumentou para 61,3% das operações totais no Brasil. Em segundo lugar, a região Sul, com 12 transações anunciadas para o período (16%).

O período de março enfatizou o que foi constatado no início de 2015, quando investidores estrangeiros apresentaram uma participação acima de 50% nas transações realizadas no País, situação pouco vista no mercado brasileiro de fusões e aquisições.

O acumulado entre o período de janeiro a março foi concluído com investidores estrangeiros com 51% do mercado nacional.

O terceiro mês de 2015 mostra o setor de TI permanecendo na liderança do mercado de fusões e aquisições. Em segundo lugar, os serviços auxiliares e na terceira posição, o setor financeiro, seguida pelo setor de serviços públicos e alimentício. O estudo da PwC não destaca fusões e aquisições em setores específicos, como o sucronergético.

Fonte: Jornal Cana