Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • -0,44%

    74.157,38

  • 25/11/2017 06h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,31%

    R$ 3,232

  • 25/11/2017 06h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 15,43%

    R$ 66,81

  • 25/11/2017 06h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,24%

    R$ 1,6810/L

  • 25/11/2017 06h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 0,21%

    R$ 1,8324/L

  • 25/11/2017 06h00
    CEPEA

Desonerações somaram R$ 64,350 bilhões no acumulado até outubro

 

O governo deixou de arrecadar R$ 64,350 bilhões entre janeiro e outubro deste ano em função das desonerações promovidas na folha de pagamento, Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de automóveis, Cide combustíveis e Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre o crédito de pessoa física. No acumulado do ano passado, a perda de receitas com desonerações foi de R$ 36,799 bilhões.

Dos R$ 64,350 bilhões que o governo abriu mão neste ano, R$ 12,591 bilhões se referem à redução de arrecadação devido à desoneração da folha de pagamento para vários setores da economia. No caso da cesta básica, a desoneração causou impacto negativo de R$ 5,321 bilhões na arrecadação.

Também contribuíram para a diminuição da coleta de tributos a Cide-Combustível (R$ 9,567 bilhões); IPI-Total (R$ 9,227 bilhões) e redução na tributação de Participação no Lucro e Resultado (PLR), com renúncia fiscal R$ 1,419 bilhão.

Apenas em outubro, essas desonerações afetaram negativamente a arrecadação em R$ 7,163 bilhões, sendo que a desoneração da folha de salários respondeu por R$ 1,418 bilhão, seguindo por cesta básica (R$ 721 milhões), nafta e álcool (R$ 271 milhões), tributação do PLR (R$ 142 milhões) e transporte urbano (R$ 107 milhões), entre outros.

Fonte: Valor On line