Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +1,28%

    73.437,28

  • 18/11/2017 22h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,56%

    R$ 3,261

  • 18/11/2017 22h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 12,99%

    R$ 65,40

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,21%

    R$ 1,6769/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,69%

    R$ 1,8286/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

E85 é discutido e poderia substituir etanol no Brasil

 

Em notícia publicada pelo jornal O Estado de São Paulo, o diretor do Departamento de Combustíveis Renováveis do Ministério de Minas e Energia, Ricardo Dornelles, sinalizou que o governo discute formas de substituição ao etanol.

Isso porque, de acordo com a publicação, vem sendo debatido na “Sala do Etanol, dentro do Ministério, a troca do combustível feito 100% a partir da cana-de-açúcar pelo chamado E85, uma mistura de 85% de etanol anidro e 15% de correntes intermediárias de gasolina. "A posição do governo é exatamente fomentar o debate. Cada um que coloca o ponto de vista tem motivos e preocupações. Não tem definição ou prazo para decisão, que será tomada se tiver mais prós do que contras", disse em entrevista ao “Estadão”.

Ainda de acordo com a publicação, a questão principal para a Petrobras discutir a mudança para o E85 é financeira, já que nos últimos meses tem trabalho com prejuízos que devem atingir o recorde de US$ 10 bilhões em 2013. "A utilização do E85 com correntes intermediárias permitiria uma redução de importações de gasolina A. O ganho está no diferencial de custo entre a importação desses dois produtos", informa a Petrobras no relatório.

Em outubro, durante evento realizado em São Paulo, Ricardo Dornelles mostrou que o setor sucroenergético, para o governo, não é prioridade. “Se querem que o 'combustível completão' ganhe espaço, que venham e ocupem esse espaço com competitividade. Não adianta dizer: esse mercado é meu, mas detonem o meu concorrente”.

Procurada, a Unica - União da Indústria de Cana-de-Açúcar disse, por meio de sua assessoria, que o assunto E85 não está mais em pauta. 

Fonte: O Estado de São Paulo