Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • 20/09/2017 10h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,1%

    R$ 3,133

  • 20/09/2017 10h00
    UOL

AÇÚCAR INTERNACIONAL

  • Variação

    Valor

  • 1.53%

    14.59 USd/lb.

  • 20/09/2017 10h00
    Bloomberg

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 0,17%

    R$ 52,42

  • 20/09/2017 10h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,55%

    R$ 1,4355/L

  • 20/09/2017 10h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 1,97%

    R$ 1,5837/L

  • 20/09/2017 10h00
    CEPEA

Em SP, bioeletricidade poupa 4% da água nos reservatórios

 

As usinas do Estado de São Paulo exportaram em 2013 para o sistema elétrico nacional 8.341 GWh. O total de energia elétrica produzido na safra passada, incluindo a energia destinada ao consumo das próprias usinas, atingiu 14.731 GWh, ou cerca de 20% da geração total do Estado em 2013. A energia ofertada à rede pelas usinas paulistas economizou 4% da água nos reservatórios do submercado elétrico Sudeste/Centro-Oeste, principal do país, responsável por 60% do consumo brasileiro. Os dados foram divulgados pela Unica – União da Indústria de Cana-de-Açúcar.

Vale destacar que o impacto positivo da oferta de bioeletricidade de cana aconteceu durante a época crítica do setor elétrico, o chamado período seco, com baixa ocorrência de chuvas, entre abril e novembro. Os dados são do Protocolo Agroambiental do Setor Sucroenergético Paulista, assinado em 2007 entre as usinas de São Paulo e o Governo do Estado, considerando uma amostra de unidades que representa 94% da moagem paulista de cana-de-açúcar. São Paulo é hoje o segundo estado em geração total de eletricidade no Brasil, atrás apenas do Paraná, e o primeiro em termos de consumo, responsável sozinho por 30% do total consumido no país.

A geração total de energia elétrica pelo setor sucroenergético paulista, incluindo a energia consumida pelas próprias usinas, já representa aproximadamente 40% de toda a geração prevista para a Usina Belo Monte, quando estiver plenamente motorizada em 2019. Isolando-se apenas a bioeletricidade ofertada para o sistema elétrico (8.341 GWh), essa energia foi suficiente para atender 7% do consumo residencial do Brasil ou 4,4 milhões de residências durante 2013. Essa geração excedente da biomassa da cana daria para atender 92% do consumo industrial anual de todo o Estado do Rio de Janeiro, com base em dados de 2012.

Para Zilmar de Souza, gerente de bioeletricidade da Unica – União da Indústria de Cana-de-Açúcar, a complementaridade da bioeletricidade com a fonte hídrica representa uma das principais contribuições do setor sucroenergético para a garantia de suprimento de energia elétrica no Brasil. “Como estariam os reservatórios hoje do Sudeste sem essa geração estratégica da bioeletricidade da cana em 2013? Em abril deste ano, a energia armazenada nos reservatórios do submercado Sudeste/Centro-Oeste terminou em 38,8%, o pior nível desde o racionamento de energia em 2001. O alívio dado ao sistema pela bioeletricidade é providencial”, comenta Souza.

Fonte: - Portal Jornal Cana - André Ricci - 02/06/2014