Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +1,28%

    73.437,28

  • 18/11/2017 22h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,56%

    R$ 3,261

  • 18/11/2017 22h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 12,99%

    R$ 65,40

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,21%

    R$ 1,6769/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,69%

    R$ 1,8286/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

Em um ano, vendas do etanol crescem 50%, segundo a ANP

 

Ribeirão Preto - As vendas de etanol hidratado em abril no País, num total de 1,498 bilhão de litros, superam em 50,1% o total comercializado em igual mês de 2014, de 997,6 milhões de litros, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O volume comercializado no primeiro mês da safra 2015/2016 é ainda 3,5% superior ao total de março desse ano, de 1,448 bilhão de litros, e apontam que a alta no preço da gasolina e o diferencial tributário de alguns Estados para o álcool podem ter recolocado o combustível de cana em outro patamar de demanda neste ano.

Em março, a alta já havia sido de 51% na demanda dos consumidores pelo hidratado, ante os 959,14 milhões de litros de março de 2014.

Segundo a União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), o primeiro fator para impulsionar as vendas do etanol hidratado foi o reajuste dos preços da gasolina, concorrente do etanol nos tanques de combustível dos veículos do ciclo Otto.

A alta na gasolina ocorreu pelo restabelecimento ainda parcial da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) e reajuste do PIS/Cofins.

Como o etanol é competitivo economicamente com um preço até 70% do da gasolina nos postos, o reajuste exclusivo ao combustível de petróleo favoreceu o de cana-de-açúcar. Além disso, os preços do próprio etanol recuaram com o início do processamento da safra.

Vantagem tributária

Outro fator que impulsionou as vendas foram as vantagens tributárias em São Paulo e Minas Gerais, dois dos principais mercados para o etanol no País. Com alíquota do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) mais baixa do Brasil, em 12%, São Paulo respondeu por mais da metade do consumo do etanol hidratado em abril, com 804,24 milhões de litros.

Além de ser o maior volume mensal dos últimos cinco anos, o total de hidratado comercializado no mês passado no mercado paulista seguiu maior que as vendas de gasolina, que somaram 794,25 milhões de litros.

Em Minas Gerais, a redução de 19% para 14% da alíquota do ICMS sobre o hidratado e a alta do imposto sobre a gasolina de 27% para 29% fizeram com que as vendas do etanol disparassem e a participação do combustível na demanda mais que dobrasse. Em abril, as vendas superaram 140 milhões de litros, recorde histórico para o Estado.

A fatia do hidratado no consumo de combustíveis do ciclo Otto saiu de uma média de 9,5% em 2014 para 21,16% no mês passado.

Fonte: Gustavo Porto, do Estadão Conteúdo