Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +1,28%

    73.437,28

  • 18/11/2017 22h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,56%

    R$ 3,261

  • 18/11/2017 22h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 12,99%

    R$ 65,40

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,21%

    R$ 1,6769/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,69%

    R$ 1,8286/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

Etanol e diesel puxam alta de 5% na venda de combustíveis

 

A venda de combustíveis no Brasil avançou 5% no ano passado, informou a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). O volume comercializado foi de 136,2 bilhões de litros, contra 129,6 bilhões no ano anterior. Desse total, 12,5 bilhões de litros de diesel e gasolina (9,1% do total) foram comprados no exterior.

A capacidade de refino de combustível no país está no limite, o que determina a necessidade de importação para atender a demanda.

"Isso não deve mudar, até que a Petrobras inaugure novas refinarias", diz Aurélio Amaral, superintendente de abastecimento da ANP.

No total, porém, a importação de combustíveis caiu quase 3%, graças ao aumento de etanol na gasolina, cujo percentual passou de 20% para 25% em 2013.

Puxaram o crescimento na venda de combustíveis a comercialização de diesel, com 2,6 bilhões de litros a mais, totalizando 58,5 bilhões de litros, e a maior participação do etanol que, sozinho, adicionou 2,4 bilhões de litros à conta total na gasolina.

A venda de gasolina C (pronta para consumo) teve aumento de 4,2%, fechando em 39,7 bilhões de litros. Desses, 2,5 bilhões foram importados.

A venda de etanol hidratado (aquele que sai da bomba pronto para consumo nos carros) foi a que mais cresceu em termos percentuais, com 9,5% de avanço, ou 0,9 bilhão de litros a mais, para 10,8 bilhões de litros.

Térmicas e aviação

Já o óleo combustível teve demanda de 1 bilhão de litros a mais do que em 2012, puxada pelo acionamento das usinas termelétricas, com avanço de 26,8% nas vendas, fechando com total de 3,9 bilhões de litros.

No levantamento, a venda de querosene de aviação mostra declínio de 0,9% em relação ao comercializado no ano anterior, caindo para 7,2 bilhões de litros. A ANP não soube explicar os motivos. Também encolheu o consumo de gás natural veicular, em 3,7%, para 5,3 bilhões de litros.
 

Fonte: Folha de S. Paulo - Samantha Lima