Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +1,28%

    73.437,28

  • 18/11/2017 22h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,56%

    R$ 3,261

  • 18/11/2017 22h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 12,99%

    R$ 65,40

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,21%

    R$ 1,6769/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,69%

    R$ 1,8286/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

Governo tem que subir conta de luz em 15% para bancar térmicas, diz jorna

 

A conta de luz teria que subir 15% neste ano para que o governo conseguisse cobrir pelo menos a metade do rombo das distribuidoras de energia elétrica. A outra metade deveria ser bancada pelo próprio Tesouro Nacional. O cálculo é do jornal "Valor Econômico".

Segundo o jornal, o acionamento das usinas termelétricas, por conta da falta de chuvas, deve gerar um custo entre R$ 10 bilhões e R$ 13 bilhões para as empresas distribuidoras de energia elétrica.

As empresas pressionam o governo para ajudar a bancar essa conta.

O governo tenta encontrar uma forma de pagar parte dessa conta, por meio do Tesouro Nacional, sem comprometer seu orçamento e suas metas fiscais, incluindo a de economia para pagar juros da dívida (o chamado superavit primário).

Outra preocupação é que um aumento na conta de luz poderia fazer a inflação aumentar, num momento em que o governo se esforça para manter o indicador abaixo do teto da meta (que é de 6,5%). 

Esse repasse para o consumidor também pode ter um impacto negativo para a imagem da presidente Dilma Rousseff, o que não é favorável em um ano de eleições.

A decisão sobre o gasto com energia é necessária porque, até esta quarta-feira (19), o governo precisa definir cortes do Orçamento e a meta de superavit primário.

Fonte: UOL - São Paulo