Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • -0,53%

    75.604,34

  • 22/09/2017 00h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,48%

    R$ 3,144

  • 22/09/2017 00h00
    UOL

AÇÚCAR INTERNACIONAL

  • Variação

    Valor

  • 0.20%

    14.73 USd/lb.

  • 22/09/2017 00h00
    Bloomberg

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 0,40%

    R$ 52,54

  • 22/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,55%

    R$ 1,4355/L

  • 22/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 1,97%

    R$ 1,5837/L

  • 22/09/2017 00h00
    CEPEA

Lobão afirma que não há risco de desabastecimento

 

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, afirmou ontem que não haverá problemas de abastecimento "em nenhuma circunstância". Segundo o ministro, mesmo que o nível dos reservatórios chegue a abril abaixo de 43% nas regiões Sudeste e Centro-Oeste e, não haverá falta de energia no país.

O nível mínimo previsto em 43% para abril, para garantir a segurança do sistema, foi apresentado anteontem pelo diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Hermes Chipp. Para Lobão, esse percentual serve apenas como indicador do nível de abastecimento "confortável". "Mesmo que não chegue a esse nível, não teremos desabastecimento", disse Lobão ao chegar do Palácio do Planalto, onde tinha uma reunião agendada com a presidente Dilma Rousseff, que foi cancelada.

O ministro ressaltou ainda que as usinas térmicas serão capazes de garantir o suprimento no período de seca caso o nível mínimo esperado para os reservatórios não seja alcançado. "As térmicas são feitas pra isso. Elas são reservas estratégicas. Em momentos de dificuldade custam mais caro", afirmou ele.

Questionado se o governo faria novo aporte para arcar com a despesa gerada pelo uso das usinas térmicas que vêm sendo acionadas desde o início do ano para garantir o abastecimento, Lobão disse que ainda não há definição sobre o tema.

Fonte: Valor Econômico