Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +1,28%

    73.437,28

  • 18/11/2017 22h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,56%

    R$ 3,261

  • 18/11/2017 22h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 12,99%

    R$ 65,40

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,21%

    R$ 1,6769/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,69%

    R$ 1,8286/L

  • 18/11/2017 22h00
    CEPEA

Preço do etanol ao consumidor subiu em 20 Estados na semana passada

 

SÃO PAULO - Os preços do etanol hidratado, que é usado diretamente no tanque dos veiculos, voltaram a subir nos postos de combustíveis da maior parte do pais, reduzindo a competitividade do produto frente ao seu concorrente, a gasolina. Conforme levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP), na última semana, os preços médios do biocombustível subiram ao consumidor em vinte Estados. Com isso, a vantagem econômica de se abastecer com hidratado, antes existente em cinco Estados, passou a se restringir a três. Além de em São Paulo, permanece vantajoso usar etanol em Mato Grosso e em Minas Gerais. Isso acontece quando o preço do biocombustível equivale a menos de 70% do preço da gasolina.

No Paraná e em Goiás, essa relação, antes vantajosa ao biocombustível, atingiu o ponto de indiferença, ou seja, 70%, quando, do ponto de vista econômico, é irrelevante abastecer com etanol ou gasolina. Já os motoristas de carros flex de Mato Grosso do Sul perderam na última semana a vantagem econômica de abastecer com etanol. Entre 18 e 24 de outubro, o preço médio do biocombustível subiu 0,37%, enquanto que, a gasolina, recuou 0,40%. Com isso, a paridade, antes no ponto de indiferença, foi a 71,5%, tornando o concorrente fóssil mais vantajoso.

Em São Paulo, maior centro consumidor de combustíveis do pais, o preço médio do hidratado subiu o,8%, enquanto a gasolina ficou estável. A paridade, antes em 68,2%, subiu a 68,7%. Entre os vinte Estados onde houve valorização dos preços, a maior alta foi observada em Mato Grosso e em Goiás. Entre os dias 18 e 24 de outubro, o preço médio do hidratado subiu 4,46% nos postos mato-grossenses e 3, 71% nos de Goiás, frente à semana anterior, conforme a ANP.

O reajuste dos preços nos postos reflete a valorização do produto na usina. O indicador Cepea/Esalq para o hidratado em São Paulo subiu 1%, a R$ 1,5451 o litro na semana entre 19 e 23 de outubro. Em cinco semanas, a valorização acumulada é de 18,8%.

Fonte: Por Fabiana Batista - Valor Econômico