Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • -0,53%

    75.604,34

  • 22/09/2017 00h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,48%

    R$ 3,144

  • 22/09/2017 00h00
    UOL

AÇÚCAR INTERNACIONAL

  • Variação

    Valor

  • 0.20%

    14.73 USd/lb.

  • 22/09/2017 00h00
    Bloomberg

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 0,40%

    R$ 52,54

  • 22/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,55%

    R$ 1,4355/L

  • 22/09/2017 00h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 1,97%

    R$ 1,5837/L

  • 22/09/2017 00h00
    CEPEA

Quem abastece com gasolina paga 84,05% só com o imposto

 

14/06/13 - A gasolina embute 84,05% de impostos; o etanol, 74,96%; e o diesel comum, 86,07%. Estes percentuais começam a ser estampados em postos de todo o Paraná, em campanha lançada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do Paraná (Sindicombustíveis-PR), que inclui ainda panfletos informativos e cartilhas. A ação tem duração prevista de 60 dias.

A iniciativa antecipa o teor da lei que obriga as empresas a detalhar nas notas fiscais o valor de impostos pago pelo consumidor. No ano que vem as empresas serão obrigadas a colocar as informações ou serão multadas, pois ainda estão em fase de adaptação. "Pegamos carona nesta lei mostrando essa parafernalha de impostos nos combustíveis", conta o presidente do Sindicombustíveis-PR, Roberto Fregonese. 

Reclamações 

Os índices divulgados pela entidade revelam quanto o consumidor paga de tributos federais e estaduais ao abastecer seu veículo. O posto recolhe também INSS,FGTS,IR, Contribuição Social sobre Lucro Líquido, salários dos funcionários, energia elétrica, água e esgoto, TCFA (Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental), entre outros gastos.

Segundo Fregonese, com o dinheiro que sobra ainda épreciso pagar o custo do transporte e garantir as margens de lucro do distribuidor e do revendedor. O empresário reclama que só a margem de lucro do combustível não sustenta o estabelecimento. "O posto tem que fazer volume na venda de combustível para cumprir as obrigações. São três fontes de renda no posto: o combustível, a loja de conveniências e serviços, como lavagem e troca de óleo", aponta. 

Autoatendimento reduz custos Roberto Fregonese não acredita em redução dos impostos dos combustíveis no futuro próximo. Para o empresário, a queda no valor pode vir com a implantação do autoatendimento, em que o próprio cliente coloca a gasolina no carro. "Com o autoatendimento teríamos redução significativa, pois 60% da margem do revendedor de combustível fica no salário e nos encargos sociais", cita. De acordo com o presidente do Sindicombustíveis, atualmente o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dos combustíveis representaem média 30% da arrecadação do Estado e esse é um fator que dificulta a renúncia fiscal.

Lucas Laranjeira
Fonte: Paraná Online