Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +0,10%

    79.831,77

  • 17/01/2018 08h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 0,58%

    R$ 3,229

  • 17/01/2018 08h00
    UOL

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 9,81%

    R$ 60,38

  • 17/01/2018 08h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 1,94%

    R$ 1,8515/L

  • 17/01/2018 08h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 1,03%

    R$ 1,9476/L

  • 17/01/2018 08h00
    CEPEA

Setor sucroalcooleiro produziu 25% mais bioenergia, informa Unica

 

São Paulo, 23 – O setor sucroalcooleiro produziu e enviou ao sistema elétrico nacional 25% mais bioenergia na safra 2013/14, encerrada oficialmente em março, na comparação com o ciclo 2012/13. O número foi informado nesta quarta-feira pela presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Elizabeth Farina, durante evento da entidade em São Paulo. A bioenergia é produzida a partir da biomassa da cana, principalmente a palha, que é queimada para esquentar a água e gerar vapor.

Conforme ela, o setor teve papel importante para garantir o abastecimento nacional. Em 2014/15, esse envio de eletricidade deve continuar expressivo. Embora não hajam dados oficiais, estima-se que foram fornecidos 280 mil MWh de energia de biomassa ao sistema, 71% superior ao observado em igual mês do ano passado. Em março, devem ter sido 500 mil MWh, mais que duas vezes acima do registrado em março de 2013.

O fornecimento de mais eletricidade ao sistema também é uma forma de gerar mais caixa, uma vez que os preços do açúcar estão atualmente em patamares baixos e o etanol segue pouco competitivo ante a gasolina. Em dezembro, o então presidente das Usinas Itamarati, em Mato Grosso, disse ao Broadcast que a unidade estava finalizando a instalação de um novo transformador para poder enviar 15 mil MWh à rede, o limite contratado com a CPFL. Na época, a unidade vendia 11 mil MWh.

(Fonte: Agência Estado)