Sermasa Equipamentos Industriais

Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
Carregando

COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • +560,43 (+0,53%)

  • 21/11/2019 15h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • +0,0132 (+0,3146%)

  • 21/11/2019 15h00
    Yahoo

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 0,84%

    R$ 65,76

  • 21/11/2019 15h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 0,21%

    R$ 1,8784/L

  • 21/11/2019 15h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 0,11%

    R$ 2,0855/L

  • 21/11/2019 15h00
    CEPEA

Brasileiros investem menos e comprometem mais o orçamento com impostos e dívidas

 

brasileiros investem menos e comprometem mais o orçamento com impostos e dividas
 
O brasileiro está investindo menos e pagando mais dívidas e impostos, mostra a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. De acordo com o estudo, do total gasto pelas famílias mensalmente, a parcela destinada ao aumento do patrimônio caiu de 4,8% em 2009 para 4,1% em 2018. Enquanto isso, a destinada ao pagamento de impostos subiu de 10,9% para 11,7% e para pagamento de empréstimos e prestações de imóvel de 2% para 3,2%, no mesmo período.
 
O IBGE considera aumento do ativo a compra e reforma de imóvel e outros investimentos. Essa despesa despencou ao longo dos quase 30 anos que se passaram entre a pesquisa anterior que originou a POF, realizada em 1975, e a primeira Pesquisa de Orçamentos Familiares, de 2003. Lá atrás, esse gasto representava 16,5% do total, e desde os anos 2000 está na casa dos 4%.
 
A POF é o levantamento mais detalhado sobre os padrões de consumo dos brasileiros. Ela é realizada desde os anos 1970. Nesta edição, ela visitou perto de 58 mil dos 70 milhões de lares brasileiros, em 1,9 mil cidades. A coleta de dados durou um ano. As famílias que participaram da pesquisa tiveram de preencher cadernetas e questionários com todos seus hábitos de consumo. Em média, elas eram compostas por 3 pessoas.
 
Baseado nessa pesquisa, o IBGE atualiza a cesta de itens que compõem o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é a inflação oficial do Brasil. Uma nota detalhada de como os dados colhidos no ano passado influenciarão na composiçao desse indicador deve ser divulgada nas próximas semanas.
 
Com o levantamento também será possível identificar quantas famílias brasileiras vivem em insegurança alimentar. Ou seja, têm acesso escasso a alimentos e podem estar em situação de fome.
 
 
Fonte: Época Negócios