Sermasa Equipamentos Industriais

Newsletter

Cadastre seu e-mail e fique por dentro sobre vagas de emprego, informativos de mercado, opiniões e artigos técnicos.
Enviar
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso.
Carregando

COTAÇÕES

BOVESPA

  • Variação

    Pontos

  • 15/07/2021 08h00
    Yahoo

DÓLAR COMERCIAL

  • Variação

    Valor

  • 15/07/2021 08h00
    Yahoo

AÇÚCAR CRISTAL

  • Variação

    Valor

  • 1,74%

    R$ 115,55

  • 15/07/2021 08h00
    CEPEA

ETANOL HIDRATADO

  • Variação

    Valor

  • 3,16%

    R$ 2,9235/L

  • 15/07/2021 08h00
    CEPEA

ETANOL ANIDRO

  • Variação

    Valor

  • 2,79%

    R$ 3,3373/L

  • 15/07/2021 08h00
    CEPEA

Moagem chega a 392,59 milhões de toneladas

 

A quantidade de cana-de-açúcar processada pelas unidades produtoras do Centro-Sul alcançou 43,13 milhões de toneladas na 2ª metade de agosto, com avanço de 2,08% sobre o valor apurado na mesma quinzena da safra 2020/2021 – 42,25 milhões de toneladas. O estado de São Paulo registrou uma moagem de 25,16 milhões de toneladas (-0,75%) e nos demais estados da região centro-sul a quantidade processada alcançou 17,97 milhões de toneladas (+6,31%), informou a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) nesta sexta-feira (10). 
 
Desde o início do ciclo 2021/2022 até a segunda metade de agosto, a moagem acumula queda de 5,81%. Nesse período, a quantidade de cana-de-açúcar processada pelas usinas atingiu 392,59 milhões de toneladas, ante 416,82 milhões de toneladas mesmo período do último ciclo agrícola.
 
Em relação ao número de usinas em operação, 257 empresas registraram produção até dia 01 de setembro, contra 262 unidades industriais em igual data do último ano. Nesta quinzena uma unidade produtora já encerrou a safra.
 
Dados apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC) para o mês de agosto, considerando uma amostra comum de 120 unidades, registraram produtividade de 65,3 toneladas por hectare colhido no mês ante 79,7 toneladas observadas no mesmo período na safra 2020/2021 – queda de 18,1%. No acumulado desde o início da safra a queda atinge 14,3%, com 85,0 t/há no ciclo passado e 72,9 t/ha na safra atual.
O diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, explica que “a baixa produtividade e as geadas contribuíram para a aceleração da colheita, que se encontra em estágio bastante avançado em relação ao último ciclo agrícola”. O executivo complementa dizendo que “como resultado devemos observar uma safra mais curta, com uma parcela maior de empresas encerrando o processamento industrial antes do final de outubro. A expectativa quanto ao tamanho da safra permanece sendo de 530 milhões de toneladas de cana, com viés de baixa, resultado de uma pesquisa realizada junto aos produtores da região Centro-Sul”.
 
A qualidade da matéria-prima na 2ª quinzena de agosto, mensurada a partir da concentração de açúcares totais recuperáveis por tonelada de cana-de-açúcar, registrou 154,85 kg de ATR por tonelada, com retração de 0,71% em relação aos 155,95 observados no ciclo passado. No acumulado desde o início da safra até 01 de setembro, o indicador de concentração de açúcares assinala 140,26 kg de ATR por tonelada de cana-de-açúcar, um aumento de 0,65% em relação ao valor observado o ciclo 2020/2021.
 
Fonte: Jornal da Cana